Terça-feira
06 de Julho de 1999

Vacina contra raiva deixa seqüelas

Veterinário tem choque anafilático e fica tetraplégico durante 28 dias depois de tomar três doses

Andréa Tavares
Da equipe do DIARIO

Três doses de vacina contra a raiva e um choque anafilático deixaram o veterinário Cauby Castro, 33 anos, tetraplégico durante 28 dias. Ele emagreceu treze quilos, teve que se submeter a um tratamento que custou R$ 45 mil e durou cerca de quatro meses. Cauby foi uma das vítimas da vacina distribuída em todo o país, através do Ministério da Saúde. Ela é a única arma no combate à raiva humana - doença que é fatal em 100% dos casos, após a apresentação dos sintomas -, consome um investimento mensal de R$ 255,2 mil, mas traz a possibilidade de reações adversas, que vão desde dores musculares até a paralisia total do corpo. Dois casos da chamada Síndrome de Guillain Barré, provocados após a ministração da vacina contra a raiva, foram registrados em Pernambuco no ano passado. Em São Paulo, foram oito casos no mesmo período.

Cauby precisou tomar a vacina como forma preventiva para enfrentar uma campanha de vacinação anti-rábica. "Tomei o medicamento em agosto do ano passado. Seis dias após a 3ª dose da vacina meucorpo começou a apresentar um processo de dormência, que se tornou generalizado em seguida. Fiquei tetraplégico por 28 dias, sem entender o porquê", relembra. Ele disse que foi submetido a testes para HIV, devido a perda rápida de peso. "Foi uma angústia para toda a família. Hoje estou curado, mas não posso tomar este tipo de vacina e, como seqüela, tenho tendinite no calcanhar de Aquiles", comenta.

A esposa de Cauby, Verônica da Silva Lima, 26, é estudante de medicina veterinária e diz que toma a vacina contra a raiva, mas tem medo das possíveis reações. O veterinário diz que não recebeu nenhuma assistência médica gratuita. Ele conta também que, embora não existam registros oficiais no Estado, houve um caso da síndrome, provocada pela ministração da vacina, em 1974. "Esse medicamento é usado há muito tempo, porque representa um custo inferior aos cofres públicos".

RAIVA HUMANA - Os morcegos hematófagos e a raposa são os animais que hospedam o vírus da raiva. O cachorro apenas é contaminado por ele, depoisde ser mordido por uma das espécies hospedeiras. Quando o ser humano é mordido pelo cachorro, também acaba sendo contaminado. A doença nos seres humanos pode se manifestar após 60 ou 90 dias e, depois que os sintomas se apresentam, não há possibilidade de cura.

Já nos animais, a raiva se apresenta dez dias após o ataque a uma vítima. "Por isso, o cachorro precisa ser preso e ficar em observação ", diz Amara Areias. O paciente recebe 3 doses da vacina contra a raiva e outras dez doses, se houver confirmação de que o animal agressor estava infectado. Os médicos veterinários costumam tomar três doses, anualmente, como forma preventiva da doença.

  leia mais..
Neurologista faz críticas
Técnico nega reação adversa