Recife, Segunda-Feira, 4 de Maio de 1998

As múltiplas faces do diabo

Robert De Niro

Interpretou Louis Cypher (uma versão discreta de Lúcifer) em Coração Satânico (Angel Heart, EUA; 1987), do diretor Alan Parker (The Commitments e Evita). Gordo, barbudo e de cabelos compridos, De Niromostrou um perfil ardiloso ao diabo, criando uma trama recheada de crimes, sexos e rituais macabros na cidade de Nova Orleans. Seu inimigo é o detetive Harry Angel, interpretado por MIckey Rourke

Viggo Mortesen

A maior vitória de Viggo na interpretação de seu Lúcifer em Anjos Rebeldes (God's Army, EUA; 1995) foi conseguir mostrar um pouco de humanidade num personagem atormentado com as batalhas celestiais. Sua força é tão grande que chega a trazer a platéia para o lado do Mal, torcendo contra as maquinações do anjo Gabriel, vivido por Christopher Walken, que deseja usurpar o trono de Deus

Al Pacino

Um dos maiores atores de todos os tempos, Pacino teve um prazer especial em poder competir com seu amigo Robert De Niro no quesito demônio-mais-assustador. Sob o codinome de John Milton, um ricaço dono de uma firma de advocacia, Al não precisou de muito em O Advogado do Diabo (The Devil's Advocate, EUA; 1997) para nutrir o personagem com charme e moral, características que levam o personagem de Keanu Reeves à loucura

Sam Neill

A competência deste ator irlandês foi a única razão de A Profecia 3: O Conflito Final (The Final Conflict, EUA; 1981) existir. Interpretando um Damien (o anticristo do original) mais velho e maquiavélico, Neil não consegue salvar o filme do mediocridade e nem levar adiante seu plano de destruir o mundo como embaixador dos Estados Unidos na Inglaterra

Christopher Lee

O ator responsável pela imagem eterna do conde Drácula também incorporou o demônio em Poor Devil, lançado em 1973, época do declínio da empresa Hammer, o filme é uma comédia onde Lee interpreta Lúcifer, o pobre assistente de Satã, que não consegue uma alma há 1.400 anos. A busca frustrada do personagem é para os fãs de filme da época, mas não rende muito para os desavisados que não vão encontrar um protagonista em plena forma

Harvey Stephens

Aos seis anos, o ator-mirim Harvey Stephens fez sua estréia no cinema interpretando o pequeno Damien, o Anticrito, no filme A Profecia (The Omen, 1976). Dirigido por Richard Donner, o garoto não dá uma palavra sequer no filme, a não um bocado de gritos. Sua interpretação fica na base de olhares e sorrisos. Não se sabe se por alguma maldição ou por falta de talento mesmo, o garoto nunca mais apareceu no cinema

Fale conosco diario@dpnet.com.br

MAPA BRASIL ECONOMIA ESPORTES HISTÓRIA HUMOR
INFORMÁTICA INTERIOR MUNDO VEÍCULOS VIAGEM VIDA URBANA VIVER