Recife, Segunda-Feira, 20 de Abril de 1998

Morte e estupro em barraco

Esperança de mudar de vida na cidade grande acaba em tragédia para quatro empregadas domésticas

Empregadas domésticas vindas da cidade de Santa Maria da Boa Vista (Sertão do São Francisco) foram vítimas da violência na periferia da cidade grande. O pedreiro Edilson do Nascimento de Oliveira, 33 anos, é acusado de ter invadido o barraco de quatro jovens na rua Itapirai, no Alto da Foice, Vasco da Gama, estuprado e assassinado a adolescente Marcela Maria da Conceição, 16. Ele também teria ferido três irmãs: Tânia Maria dos Santos, 18, Ângela Maria dos Santos, 22,(internadas no Hospital da Restauração) e S.T.S., 16. Edilson do Nascimento negou o crime, mas com base em depoimentos de testemunhas, foi autuado em flagrante pelo delegado da Diretoria de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA) Frederico Bezerra Cavalcante.

As quatro domésticas alugaram o barraco há dois meses só para passar os dias de folga e os finais de semana. Ontem, pretendiam participar de um churrasco, em Itamaracá, mas os planos não foram concretizados. Na DPCA, com a mão direita ferida e imobilizada, S.T. não parava de chorar. Elacontou que por volta das 20h30 de anteontem, dormia com as irmãs quando foram surpreendidas por Edilson Nascimento dentro de casa. "Armado de revólver, ele pulou pela janela, apagou a luz e nos acordou. Perguntou se tinha alguma do lado de fora. Respondemos que faltava Marcela que estava na frente de casa e foi chamada", contou.

Prosseguindo, S.T. disse que o homem tomou seu relógio, e recolheu um anel, uma aliança, uma gargantilha e R$ 50,00 das outras e mandou que todas tirassem as roupas. "Em seguida, ele rasgou algumas peças de roupas que estavam pelo chão e amarrou as mãos de Tânia junto com as de Ângela. Depois jogou um lençol nos rostos delas. Amarrou Marcela com as mãos para trás e praticou sexo com ela", disse a adolescente, acrescentando que antes, ele tinha tentado estuprá-la, mas conseguiu se livrar e ficar solta.

SOCORRO

S.T. gritou por socorro. O vizinho, o servente Cláudio Norberto da Silva, que mora no quarto ao lado, escutou o chamado e foi até a porta do barraco. "Quando bati, uma das meninas disse que não era nada e que eu podia ir embora, mas resolvi chamar o dono do barraco, seu Trigueiro. Ele chegou e bateu na porta que ficou entreaberta. Foi quando o agressor fez vários disparos", afirmou. Marcela foi atingida no peito e morreu no local. Tânia foi baleada nas costas e Ângela na perna e na barriga. O agressor correu levando os objetos recolhidos das jovens, e as duas socorridas no HR.

Em 1991, Edilson Nascimento já esteve recolhido no Presídio Aníbal Bruno por haver agredido a mulher. Os vizinhos afirmaram que ele é violento e já bateu na esposa por diversas vezes. "Não sei porque elas estão fazendo as acusações. Passei a noite bebendo na frente de um açougue, com os colegas Joelson, Joab e Kita. Por volta das 4h30 da madrugada, fui para casa. Nunca estive na casa delas. Só sei que chegaram para lá há cerca de 2 meses. A polícia foi até minha casa quando eu dormia e fez a prisão", afirmou. Ele mora com a mulher (que passou todo o dia de ontem trancada em casa) e treze cachorros.

O delegado Frederico Cavalcante afirmou que o exame de parafina para verificar se há vestígios de pólvora nas mãos do pedreiro ajudará a esclarecer se os tiros contra as mulheres foram disparados ou não por ele. "Como o Instituto de Criminalística só entregará o resultado na próxima segunda-feira, fez o flagrante com base nos depoimentos de testemunhas", explicou. Edilson Nascimento foi autuado por homicídio, estupro e lesão corporal grave. A arma do crime não foi apreendida.


Objetivos eram trabalhar e mandar dinheiro para a mãe

Fale conosco diario@dpnet.com.br

MAPA BRASIL ECONOMIA ESPORTES HISTÓRIA HUMOR
INFORMÁTICA INTERIOR MUNDO VEÍCULOS VIAGEM VIDA URBANA VIVER